Com apenas dois anos, Maria Flor, filha de Deborah Secco e Hugo Moura, exibe um lado desinibido nas redes sociais. A atriz entregou que possui receio caso a filha decida seguir a carreira artística. “O meu único medo é que ela encare esse preconceito que o Hugo enfrentou. Essa barreira julgativa e tão taxativa de ‘marido da Deborah’ ou ‘filha da Deborah’. Eu queria que ela fosse rapidamente muito maior que eu. Porque sei que essa comparação é muito dura. Eu vi muitos amigos meus crescendo, filhos de artistas, e sofrendo enormemente”, disse no “Conversa do Bial” desta quinta-feira (21). Moura, atualmente no ar com a esposa em “Segundo Sol”, admitiu que sentiu o peso de ser casado com Secco: “Óbvio que, pra mim, é um fardo muito grande, todo mundo espera muita coisa do marido da Deborah que é ator”.

Atriz não vai interferir em profissão da filha: ‘Nunca vou deixar de ouvir a Maria’

A artista, que concilia carreira e maternidade, disse que a herdeira terá apoio se decidir ser atriz: “A melhor coisa que minha mãe fez por mim foi me ouvir. Eu era pequena e falei ‘eu quero isso’. Ela me ouviu e acreditou em mim. Eu nunca vou
deixar de ouvir a Maria”.

Artista lembra de declaração polêmica sobre traição: ‘Sociedade hipócrita’

No passado, Deborah admitiu que traiu e foi traída por todos os ex-namorados e, na conversa com Pedro Bial, lamentou a repercussão negativa: “Todas as pessoas que não estão habituadas à franqueza e ainda vivem em uma sociedade muito hipócrita e machista, onde o homem trair é normal e a mulher trair não, se ofenderam com a declaração”. A atriz disse que está em paz com suas declarações: “Eu consegui chegar em um estágio da minha vida que eu vivo muito bem com a minha verdade, mesmo ela nem sempre sendo boa. Acho que poder ser verdadeira hoje foi minha maior conquista”. Secco ainda explicou por que não se mantinha fiel no relacionamento: “Eu não tinha força pra me livrar da relação, mas não fazia tudo para ser bom não. Fazia tudo pra outra pessoa se livrar de mim. Eu me apaixonava pra ter forças de sair daquilo e aí acabava traindo”.

(PUREPEOPLE)